Mercy Zidane: Dezembro 2010

sábado, 25 de dezembro de 2010

Estranho

-Podia, mas não quero. As coisas tão aqui, muito dispersas. É a cidade, é a cidade que tá entrando em mim, cara, pelos olhos e poros, pelos poros dos olhos, pela cabeça virada, pelas máscaras que grudam na minha cara de poucas em poucas horas, pelo rancor que se materializa como uma parede de concreto que eu finjo não existir, mas que mesmo sendo invisível não me deixa passar, entende?

-Acho que sim. E agora?

domingo, 19 de dezembro de 2010

De volta

Ter um blog e ficar um tempo considerável sem postar é tão comum quanto escrever posts metalinguísticos elencando os motivos da abstinência textual - em 90% dos casos a culpada é a falta de tempo. No restante é a preguiça. Normal, sabemos que "é assim que é", então vou poupar a verborragia.

Perdi a toada para falar: do meu posicionamento de votar nulo no segundo turno das eleições e expor os motivos contrários ao voto útil no PT; de comentar a minha escolha em participar de chapas nas eleições estudantis da USP; da emocionante despedida da histórica república Chiapas; da minha apreciação cada vez maior pelo rap; do ano ruim do Palmeiras.

Alguns desses assuntos ainda podem se salvar. A maioria deve cair no esquecimento.

Mas o importante é que o gelo foi quebrado, mesmo que o texto seja curto.

Novos velhos assuntos estão por vir. Abaixo, a música que mais passou pelos meus ouvidos no período em que MZ esteve inativo: